MAIOR DO MUNDO



Não há maneira menos dolorosa de introduzir o nome do concurso: “Maior Pinto do Mundo”. Não era concurso rural pra medir filhotes de galinhas, era pinto mesmo, daqueles que os humanos do sexo masculino possuem e se orgulham tanto de possui-los, principalmente depois que Freud fez dele – o pinto – uma espécie de "eu tenho você não tem". Era a versão Rambo do Concurso de Miss Universo. A disputa se dava através da medição. O candidato colocava o pinto sobre a mesa milimetrada e media o tamanho, depois colocava sobre a balança pra medir a massa. O número somado e dividido era a nota. Durante a medição, muitos pintos caíram por terra, sobretudo daqueles que gozavam com o pau dos outros. Políticos, jogadores de futebol, artistas, empresários, fazendeiros, jornalistas, publicitários e toda sorte de supostos pintudos ficaram só na propaganda enganosa. No fim do dia saiu o vencedor. O ganhador foi um pintudo da alta sociedade. Competidores das classes sociais inferiores reclamaram de propina. Mas o vencedor subiu no pódio e mostrou o pinto pra todo mundo. Ele era o cara. O Maior Pinto do Mundo. Claro que na hora do discurso, Mr Pinto Universo não pediu paz no mundo, ele disse… (não, melhor não contar o que disse), mas todos aplaudiram. E ele ficou de pinto duro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário